Como lidar com pacientes especiais em clínica médica/odonto

28_03

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Você sabe como lidar com pacientes especiais em clínica médica/odonto? Confira aqui dicas para atender bem a pessoas com diferentes necessidades e mostrar que seu atendimento também é especial.

Como lidar com pacientes especiais em clínica médica/odonto

A primeira coisa é identificar em que sentido seu paciente é especial. Ele possui uma síndrome, uma deficiência, uma condição temporária? Todos podem precisar de uma atenção especializada em algum momento.

Por exemplo: um paciente saudável pode ter um problema de locomoção que o faça usar cadeira de rodas por um tempo. Ou um paciente pode ter uma deficiência física que exija esse equipamento de forma permanente. A deficiência pode ser visual, ou corresponder à falta de um membro. Outras pessoas podem ter distúrbios ou deficiências psicológicas, mentais ou comportamentais.

Há também aqueles que podem ter contraído uma doença infectocontagiosa. Ou, ainda, pacientes com problemas crônicos, como diabetes, insuficiência renal, cardiopatias.

Algumas pessoas podem ter síndromes ou transtornos. É o caso de quem tem síndrome de Down ou autismo. Em alguns casos os graus de entendimento podem variar e o auxílio de um familiar pode ser necessário ou, pelo menos, bem-vindo. Também podem precisar de atenção diferenciada gestantes, transplantados, pacientes oncológicos ou imunodeprimidos.

Cada caso é um caso

É claro que cada paciente é único, independente de ter alguma condição especial. Mas algumas situações podem ser importantes de serem antecipadas. Por exemplo: um paciente pode não conseguir acessar a clínica médica por falta de acessibilidade. Outro pode acessar, mas ter dificuldade em interagir na consulta. Há também os que não terão condições de fazer o tratamento sozinhos, e pode ser necessária a presença de um cuidador para orientar a sua continuidade.

Vamos ver aqui como lidar com pacientes especiais em clínica médica/odonto considerando algumas dessas peculiaridades.

Pessoas com deficiência física

Atente para o espaço de circulação na clínica médica e ausência de degraus. Ao interagir, não se apoie na cadeira e peça licença para ajudar na locomoção. Finalmente, olhe a pessoa nos olhos, no mesmo nível, evitando que o paciente precise ficar com o pescoço levantado para conversar.

Alguns treinamentos podem ser muito úteis para você e sua equipe. No caso de quem possui deficiência auditiva, por exemplo, encontrar atendimento em Libras é um grande diferencial. Do contrário, fale pausadamente, sempre de frente para a pessoa ver seus lábios, nunca dê as costas para ela.

Deficientes visuais podem chegar acompanhados de seu cão-guia. Ele deve ter livre acesso e não deve ter sua atenção desviada. Falando em desviar, não esqueça de deixar o ambiente livre de obstáculos. Se possível, acrescente piso tátil e orientações em Braile.

Deficiências intelectuais

Uma das dificuldades de como lidar com pacientes especiais em clínica médica/odonto é quanto a pessoas com deficiências intelectuais. Há vários tipos de deficiências e é possível sempre ter alguma para a qual você não esteja preparado.

Em todos os casos, porém, é preciso não subestimar a inteligência dos pacientes. Seja claro, esteja preparado para repetir, ou contar com apoio de um familiar, mas apenas se necessário. Do contrário, fale diretamente com o paciente.

Gestantes

As gestantes também precisam de cuidados especiais. Elas não devem ficar esperando em pé, precisam ser acomodadas e ter espaço. A ansiedade está presente e também deve ser considerada, assim como outras condições clínicas momentâneas, como alterações hormonais, inchaços, dores, e a dose de paciência deve ser redobrada.

Imunodeprimidos

Pessoas com imunidade baixa, realizando tratamentos, também podem precisar de apoio extra. Atente para as condições de cada um não só na prescrição, mas em todo atendimento. Algumas estarão fisicamente mais frágeis ou mesmo precisarão receber explicações mais detalhadas, com muita calma.

Pacientes com doenças crônicas ou infectocontagiosas

No caso de pacientes com doenças infectocontagiosas é preciso ter cuidado com eles e também com quem os atende: você, seus funcionários, seus outros pacientes. Lembre-se de providenciar equipamentos de proteção individual adequados às situações que se apresentarem. Pode ser necessário uso de máscara, luva, álcool gel, ambientes arejados. Em alguns casos pode ser indicado marcar um horário especial. O paciente também não deve sentir nenhum constrangimento pela sua condição.

Já no caso das pessoas com doenças crônicas, em que é importante orientar para tratamentos de longo prazo, com acompanhamento permanente, a paciência e o acompanhamento são determinantes para o sucesso.

Crianças e idosos

As crianças e idosos podem, por si só, ser consideradas pacientes especiais. Amplie esse horizonte para quando alguma das situações já citadas envolver um desses públicos. Redobre a paciência e a estratégia de conversar também com os pais ou cuidadores, mas sem ignorar o próprio paciente em seu atendimento. Olhe nos olhos, explique sua condição e repita sempre que necessário para que o entendimento seja completo.

Agora que você sabe como lidar com pacientes especiais em clínica médica/odonto, um ótimo atendimento e continue acompanhando as dicas OPT.DOC.

Em destaque

Venha conhecer
Um novo conceito

Agende o melhor dia para você conhecer nossas instalações de perto e compreender melhor este novo conceito de clínica.